arrow_drop_down
Como flechas na mão do valente

Como flechas na mão do valente

“Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta” Salmo 127:4,5

Encontramos nesta frase um princípio a ser aplicado na criação dos nossos pequenos. O texto fala de filhos ajudando um pai a proteger sua casa; neste sentido, podemos vê-los como parte da defesa diante do inimigo e como uma família deve aprender a lutar junta.

Mas existe outra aplicação aqui. Precisamos aprender a criar e liberar nossos filhos para a vida. O que um valente (outra versão usa o termo guerreiro) fazia com uma flecha? Ele atirava para longe de si. Ele a lançava para atingir um alvo.

Surge aqui uma preocupação: como temos preparado nossos filhos para que sejam lançados para a vida? Uma hora eles terão que sair de casa e viver seus próprios objetivos e alvos. E, se os protegermos deste momento, não apenas criaremos problemas para eles, mas também nós teremos problemas. Nossa criação não deve ser egoísta, centrada em nós mesmos. O valente atira suas flechas visando acertar um alvo. Como pais, precisamos ajudar nossos filhos a entenderem sua vocação e aptidões. As flechas naqueles dias eram feitas manualmente. Exigiam trabalho artesanal e personalizado. Se o guerreiro quisesse ser bem-sucedido ao atirar suas flechas, deveria antes ter investido tempo nelas. Vemos outro ensinamento aqui. Quanto tempo temos gasto efetivamente na criação, educação e condução da vida dos nossos filhos?

A fúria do inimigo das nossas almas tem nos preocupado com relação ao futuro de nossas crianças. A omissão de pais e mães na criação dos seus filhos tem permitido que o mundo com sua impiedade invada nossas casas e famílias. O que mais me assusta é que não temos dado a elas a oportunidade de aprenderem a se defender. O ladrão chega sorrateiramente e nos pega sempre de surpresa.

Tudo o que for bom e importante para o futuro de nossos filhos deve ser ensinado, preparando-os a serem autossustentáveis antes de se estabelecerem na vida. Devemos prepará-los para serem enviados à encontrarem o melhor de Deus para si. Devemos levá-los a conhecer a Deus antes de tudo. Ensiná-los a crer em Jesus como único e suficiente Salvador, vai tornar suas vidas cheias de propósito. Nossos filhos são flechas. E os valentes responsáveis por atirá-los somos nós. Que Deus abençoe a todos. 

Sua serva Edla Caminha.