Mensagem da noite  do dia 05 de agosto pelo Pastor Carlos Henrique Soares

Tema: O tribunal dos homens frente ao confronto da graça

‘Jesus, porém, foi para o monte das Oliveiras. Ao amanhecer ele apareceu novamente no templo, onde todo o povo se reuniu ao seu redor, e ele se assentou para ensiná-lo. Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos e disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz?” Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo. Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”. Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão. Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando pelos mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele. Então Jesus pôs-se em pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?” “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”. ‘

João 8:1-11

Fica claro que todos somos pecadores Mas, como insistissem em perguntar, ergueu-se e disse-lhes: Quem dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro a atirar uma pedra nela. (v.7)

Podemos esconder de todos, os nossos pecados, menos de nós mesmos e do Senhor E, inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão v. 8

O fato de termos mais experiências, não nos livra de erros Ao ouvirem isso, todos foram saindo um a um, começando pelos mais velhos; e ficaram apenas Jesus e a mulher, em pé no mesmo lugar. v. 9

Um dos grandes perigos da Idade ou de tempo de experiência na vida cristã, é que nos tornamos complacentes conosco e intolerantes com os outros (v.9)

No tribunal da Graça a condenação se transforma em oportunidades Levantando-se e não vendo ninguém senão a mulher, Jesus lhe perguntou: Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou? Ela respondeu: Ninguém, Senhor. Disse-lhe então Jesus: Nem eu te condeno. Vai e não peques mais.

No tribunal da Graça não conseguimos lidar com os nossos pecados, com a vergonha. Precisamos contar com a ajuda de Deus para lidarmos com a nossa própria consciência – v. 11

No tribunal da Graça todos que confessam encontram perdão e transformação v.11

%d blogueiros gostam disto: