‘Então ele se levantou, comeu e bebeu. Fortalecido com aquela comida, viajou quarenta dias e quarenta noites, até chegar a Horebe, o monte de Deus. Ali entrou numa caverna e passou a noite. E a palavra do Senhor veio a ele: “O que você está fazendo aqui, Elias?” Ele respondeu: “Tenho sido muito zeloso pelo Senhor , o Deus dos Exércitos. Os israelitas rejeitaram a tua aliança, quebraram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada. Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me”. O Senhor lhe disse: “Saia e fique no monte, na presença do Senhor , pois o Senhor vai passar”. Então veio um vento fortíssimo que separou os montes e esmigalhou as rochas diante do Senhor , mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto, mas o Senhor não estava no terremoto. Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave. Quando Elias ouviu, puxou a capa para cobrir o rosto, saiu e ficou à entrada da caverna. E uma voz lhe perguntou: “O que você está fazendo aqui, Elias?” Ele respondeu: “Tenho sido muito zeloso pelo Senhor , o Deus dos Exércitos. Os israelitas rejeitaram a tua aliança, quebraram os teus altares e mataram os teus profetas à espada. Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me”. O Senhor lhe disse: “Volte pelo caminho por onde veio e vá para o deserto de Damasco. Chegando lá, unja Hazael como rei da Síria. Unja também Jeú, filho de Ninsi, como rei de Israel, e unja Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, para suceder a você como profeta. Jeú matará todo aquele que escapar da espada de Hazael, e Eliseu matará todo aquele que escapar da espada de Jeú. No entanto, fiz sobrar sete mil em Israel, todos aqueles cujos joelhos não se inclinaram diante de Baal e todos aqueles cujas bocas não o beijaram”. ‘ 1 Reis 19:8-18 

Cavernas que Deus nos tira Dos nossos discursos que nos faz murmuradores e centralizados no Eu (v.10)

Cavernas que Deus nos tira Das experiencias marcados pelo extraordinário e marcado pela simplicidade (v.11-12) Hoje a simplicidade é marcada pelo grito de dor de Deus que continua lhe procurando.

Cavernas que Deus nos tira Do discurso de poder, obediência credora e julgamento alheio (v.14) Essa caverna continua quando não olhamos para a Graça de Jesus

Cavernas que Deus nos tira Dos sentimentos de isolamento e desprezo, tornando-se um eterno aprendiz de que Deus é quem faz tudo em todos (v.14)

Cavernas que Deus nos tira Do sentimento de abandono e nos faz aprender sobre a ação da comunhão e unidade (v.15-18) Valorização da Igreja de Jesus.

 

%d blogueiros gostam disto: