Ao ver as multidões, Jesus sentiu grande compaixão pelas pessoas, pois que estavam aflitas e desamparadas como ovelhas que não têm pastor.”  Mt 9:36

Durante esta e a outra semana o nosso FOCO será a oração e consagração do nosso projeto de ação junto a esta terrível situação que tem, em particular, me assustado.  Tenho feito como Neemias diante do caos que estava Jerusalém. Tenho visto a quantidade de pessoas que estão carecendo de nossas orações  e ações.  Existem pessoas idosas que estão viciadas e fazendo o uso das drogas.  A realidade conta com uma grande quantidade de usuários e isso não pode ser contemplado por nós com um olhar de lamento, mas de busca pelas ovelhas de Jesus que estão presas nas garras do Inimigo.

Muitos que não conhecem a realidade, atribuem tudo isso a “pouca vergonha”, “vagabundagem” e até com um olhar “criminoso” e preconceituoso, porém, entendemos que a droga é a perdição deste tempo.  A droga não vem sozinha porque sempre está acompanhada dos maus conselhos, más companhias, curiosidade, incapacidades na negação, influência da mídia e etc.   Ninguém inicia a drogadição porque resolveu simplesmente ser um viciado, mas pode ser vítima de um momento de fraqueza e desespero também. Muitos que convivo têm dito que diante da falta de expectativa e autoestima baixa experimentaram algo que os aliviasse (não percebendo a isca de Satanás).

A Igreja se levanta.  Nós temos uma mensagem de esperança, a Igreja precisa se preparar melhor e olhar de forma mais ampliada, fazer de nosso espaço um lugar de acolhimento e capacitação aos pais no enfrentamento da realidade.  A esperança do mundo é a Igreja.  Nós precisamos trabalhar a prevenção nas escolas, na Igreja, nas famílias, nas praças.  Nossas crianças precisam ouvir sobre isso e nós precisamos buscar o espaço nos espaços onde elas estão.

Já estamos atrasados.   Pense nisso!

Pr. Carlos Henrique