Um dia encontrei uma pessoa que disse isso em meio as muitas lágrimas. Aquela pessoa estava sempre cercada de muitas pessoas, mas sofria de um mal chamado solidão. Paro e penso sobre quantas pessoas que sofrem deste mal em meio a multidão.

Nossa Igreja tem esse desafio. É possível que o sofrimento tem alcançado muitas pessoas aqui também. São pessoas que precisam de um abraço constante e de uma demonstração de carinho . Você tem essa consciência? `Procure olhar mais um pouco para o lado e para trás quando estiver nas celebrações. Não deixe uma pessoa “quietinha” sem ser abraçada mas demonstre seu amor. Sempre um aperto de mão é demonstração de carinho e uma saudação tal como: “- Olá !!!! Como vai? “ faz toda a diferença na vida.

Jesus disse que sua Igreja seria marcada pela unidade e que através deste fato o mundo reconheceria a Missão de Jesus como o enviado do Pai, logo, comunhão é necessária porque foi para isso também que existimos como Igreja.

Comunhão é marcada pelo amor e cuidado de um para com o outro. Nós precisamos facilitar a aproximação das pessoas. Precisamos abrir espaço para que outros cheguem e se sintam amados e cuidados. Precisamos sentir falta daqueles que de repente se ausentam, afinal, eles podem estar precisando de você. Comunhão nos faz mais família, mais irmãos, mais gente. Você está disposto?

Seu Pastor Carlos Henrique